Cidade das Artes e Ciências – CALATRAVA

Leveza, tecnologia e flexibilidade são algumas características das obras do grande arquiteto Santiago Calatrava. Com seu dom artístico apurado suas criações parecem receber inspiração DIVINA. Difícil escolher qual de suas obras visitar, pois seus projetos possuem características únicas e encantadoras.

Concentram-se na Espanha algumas das monumentalidades do Arquiteto Santiago Calatrava.
Cidade das Artes e Ciências por Santiago Calatrava e Felix Candela- Valência- Espanha

Localizado no antigo leito do rio Turia a Cidade das Artes e das Ciências, é um vasto e futurístico complexo urbano de 35 hectares, no sudeste de Valencia que abriga o palácio e outros quatro impressionantes edifícios: o Teatro Hemisférico (cinema e planetário), o Museu das Ciências Príncipe Felipe, o L’Umbracle (estacionamento e passeio) e o Parque Oceanográfico.

Os Setores de Complexo são:

1 – O Teatro Hemisférico (planetário) é um dos edifícios fundamentais do projeto e foi o primeiro a ser inaugurado. Construído a modo de um olho aberto que tudo vê, está concebido como uma sala de projeções audiovisuais que permite oferecer aos seus 300 espectadores por sessão as mais inovadoras sensações audiovisuais, obtidas pelo melhor suporte tecnológico do mundo.

2 – O Museu das Ciências Príncipe Felipe, inaugurado no mês de novembro passado, foi concebido como um museu aberto e dinâmico onde o lema principal é “é proibido não tocar”. Ao longo dos seus 4.000m² o visitante passa pelas diferentes áreas que cobrem uma ampla gama de temas científicos, desde biologia e física até as mais avançadas tecnologias aplicadas à comunicação, construção, esportes, etc.

3 – L’Umbracle é a porta de entrada para a Cidade das Artes e das Ciências, constituída por uma área verde de 7.000m², com 300m de comprimento e 60m de largura

O Palácio das Artes, ainda em fase de construção, será o centro artístico e cultural mais importante do mundo: arquitetura, engenharia e tecnologia de vanguarda para a criação de um espaço onde haverá lugar para todos os estilos desde os clássicos até as últimas tendências em ópera, teatro, musica e dança, contando com três auditórios.

Finalmente, o conjunto completa-se com o Parque Oceanográfico, projetado por Félix Candela, uma autentica cidade submarina de 80.000m², com túneis envidraçados e réplicas perfeitas de setores costeiros com águas de diferentes qualidades, que permitem conhecer os animais representativos de cada zona da Terra.

Conta com uma zona recreativa composta por um restaurante flutuante submarino, uma fonte para espetáculos de luz – som – água, e o maior aquário da Europa para espetáculos. Possui também de áreas envidraçadas para observar o trabalho dos mergulhadores e um túnel submarino de 70m de comprimento.

As construções compartilham da mesma linguagem arquitetônica, marcada pelas formas abstratas, sempre de caráter orgânico e escultural, e pelos tons claros. O fato de se inspirar na natureza para criar formas ousadas e únicas, desprovidas de linhas ou ângulos retos, leva muitos a compará-lo ao catalão Antoni Gaudí, um dos expoentes da arquitetura do século 20.

“Todos os meus projetos, incluindo o Palácio das Artes, começam com um desenho ou aquarela que partem de um gesto. Pode ser o gesto de uma criatura viva ou de minha mão se movendo pela página”, revela o arquiteto.

Fonte:www.metalica.com.br
Fonte: www.revistaau.com.br

Você pode gostar de:

Compartilhe:  
Nenhum comentário

Deixe um Comentário